Casos de Sucesso

As Nossas Histórias

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Estes são apenas alguns dos muitos relatos, onde os terapeutas da OsteoJP obtiveram um sucesso comprovado e que demonstram de forma inequívoca, os benefícios da osteopatia nas diferentes faixas etárias.

Lisa Fonseca, 33 anos, com uma gravidez de risco e um diagnóstico de mioma, com elevado risco de aborto, iniciou os tratamentos às 8 semanas.

Com tratamentos de osteopatia visceral e sacro-craniana, a equipa conseguiu libertar as fachas musculares que ajudaram a reposicionar o útero. Estes tratamentos osteopáticos ajudarem a manter a gravidez até ao fim, culminando num parto sem complicações, nascendo um bebé saudável.

Foi diagnosticado durante a gravidez, que o Bernardo tinha Doença dos Pezinhos (ou Doença de Corino de Andrade), sendo a mãe aconselhada a interromper a mesma. Contra a indicação médica, levou a gravidez até ao fim e esta pressão emocional, naturalmente passou para o bebé durante a gestação. Tendo em conta o contexto nada favorável, o bebé nasceu com problemas psicossomáticos. Nos primeiros dias de vida o Bernardo não dormia, tinha problemas intestinais e rejeitava a comida. Durante meses até completar 1 ano de idade, fez sessões de osteopatia sacro craniana regulares. Hoje a doença está estabilizada, dorme e come saudavelmente, fazendo apenas consultas periódicas de prevenção.

Margarida Melo teve um parto muito difícil e a filha fraturou a clavícula no nascimento, não conseguia mamar e o pouco que conseguia bolsava. Chorava ininterruptamente e não conseguia dormir. Tendo feito progressões a cada tratamento, já está mais calma e já se alimenta melhor.

Bárbara, 17 anos, atleta de ginástica acrobática, com lesão no joelho, rotura total de ligamentos cruzados, menisco e edema, foi encaminhada para cirurgia por indicação médica. Neste período de espera de dois meses pela intervenção, iniciou os tratamentos osteopáticos. Neste momento já tem mobilidade no joelho sem dores.

Filipe, 38 anos, doente com Gripe A esteve em coma um mês. Depois de acordar tinha um membro inferior paralisado devido à longa permanência imóvel. Durante um ano de tratamentos osteopáticos recuperou a mobilidade e a funcionalidade do pé e perna afetada.

Adorei o percurso e nem me lembrei da dor que me acompanhava desde quarta-feira quando torci o pé a treinar. Nada como ter a fabulastica equipa da Osteojp🔝 para cuidar de nós quando algo imprevisto acontece. O tratamento de sexta-feira e a tape de sábado foram fundamentais para chegar sã e salva ao final e pronta para a proxima!! Obrigada!

Maria da Conceição, 63 anos, tinha sintomas vertiginosos, pânico e fobia de sair de casa sozinha, há 6 anos que se encontrava nesta situação. Com cinco tratamentos osteopáticos voltou a ter uma vida ativa normal, sem medos e receios.

Maria Irene Alves Martins, 71 anos, apresentava dor crónica nevrálgica (dor aguda, intensa e incessante em um ou mais nervos) na parte abdominal por lesão dos ligamentos viscerais. Após recorrer a vários médicos e tratamentos sem sucesso, a equipa conseguiu com tratamento osteopático visceral libertar as estruturas eliminando a dor constante e os espasmos.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.